Limao Capitiu/Galego/Cravo

Teste de post.

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

DEA claims cannabis holds no medicinal value even as the federal government owns the PATENT on its use as a medicine — TheBreakAway

Source: NaturalNews.com L.J.Devon September 6, 2016 For decades, tetrahydrocannabinol (THC), of the herb cannabis sativa, has been at the top of the Drug Enforcement Agency (DEA) hit list. This targeted plant and its natural properties continue to be classified as a schedule one drug on the DEA’s senseless drug scheduling system. Cannabis is listed alongside […]

via DEA claims cannabis holds no medicinal value even as the federal government owns the PATENT on its use as a medicine — TheBreakAway

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Medical Marijuana Reaches Key Legislative Approval in Texas

TheBreakAway

But It’s Severely Limited

marijuana-plant-green-735-350

Source: NaturalSociety.com
Christina Sarich
March 11, 2016

There’s a saying that “Everything’s bigger in Texas,” but apparently everything is slower, too. The state is preparing to issue licenses for medical marijuana dispensaries to legally sell products with low levels of THC, such as cannabis oil, but there’s a catch.

First, the medical marijuana types will be extremely limited, and only those with an intractable form of epilepsy will be allowed to partake of cannabis’ incredible healing properties.

Next, the program was set to launch at the beginning of 2016, but dispensaries seeking a license won’t likely see the light of day until June of 2017, with applications coming available this summer.

Texas Sen. Jose Rodriguez, who was a co-author of the bill, told local news station KFOX

“There’s no question that you do have to go through a lot of hurdles before you’re eligible to receive treatment under this particular…

View original post mais 31 palavras

Publicado em Uncategorized | 3 Comentários

10 árvores surpreendentes que você não vai acreditar no que fazem

VIVIMETALIUN

As árvores tendem a ser ignoradas como parte da paisagem. A gente só procura uma se for para fugir do sol e do calor, ou quando há algum fruto saboroso a apanhar.Porém, quando você começa a olhar de perto as árvores, percebe muita coisa estranha, como formas de comunicação entre elas e as maneiras letais que elas têm de sobreviver.

10. Árvores podem explodir

10-coisas-que-as-arvores-fazem-e-voce-nao-vai-acreditar-9

 

Bom, não a árvore, mas a semente. E não é uma árvore muito amigável, trata-se da açacu. Ela tem veneno em quase todas as partes, e não pense que você vai conseguir abraçá-la, pois ela também tem a casca coberta de espinhos enormes.

Mas são as frutas que são a parte mais danosa dessa planta. Elas explodem enviando sementes à espantosa velocidade de 240 km/h. E como se não bastasse isso, se você tentar comer uma delas, vai ter vômito e diarreia. Sem contar…

View original post mais 877 palavras

Publicado em Uncategorized | 2 Comentários

Fotógrafa passa 14 anos retratando as árvores mais antigas do mundo

VIVIMETALIUN

Conhecida como “árvore da vida”, o Baobá é um tipo de árvore existente na África, Península Arábica, na Austrália e em alguns outros lugares do mundo. Os baobás são considerados por estudiosos como as árvores mais antigas do planeta, chegando a alcançar impressionantes dois mil anos de existência. Esse cálculo é feito através do diâmetro das árvores, que revelam a idade aproximada do exemplar.

Não é por menos que essas árvores encantam tantas pessoas, entre elas a fotógrafa Beth Moon. Ela dedicou 14 anos de seu trabalho para fotografar esses belos exemplares pelo mundo, o que deu origem ao livro “Árvores Antigas: Retratos do Tempo.”

Sendo os maiores e mais antigos monumentos vivos da Terra, acredito que essas simbólicas árvores tem um grande significado, especialmente num tempo quando nosso foco está direcionado para encontrarmos formas melhores de convivermos com o meio ambiente“, relata a fotógrafa.

View original post mais 13 palavras

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

Florestas do Brasil: Parte VI – CAATINGA BRASILEIRA: Único bioma exclusivamente brasileiro

Blog de Sociologia Política

Tags: Aridez, Desertificação, Diversidade ecológica, Escassez de água, Subsídio, Zona subequatorial

era_uma_vez_aconteceu_caatinga

A Caatinga é o único bioma exclusivamente brasileiro, o que significa que grande parte do seu patrimônio biológico não pode ser encontrado em nenhum outro lugar do mundo.

A Caatinga brasileira ocupa 850.000 Km2 e já foi considerada uma região pobre em biodiversidade, porém, hoje sabemos que existe grande diversidade ecológica nesse bioma.

Ocupando 11% do território brasileiro, estende-se por 777 Km2 na zona subequatorial. É uma das regiões semiáridas mais populosas do mundo e sua ocupação humana data de épocas pré-históricas. Contudo, somente 1% de seu habitat está protegido.

A Caatinga é encontrada nos estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Ceará, Pernambuco, Sergipe, Bahia, Alagoas, Piauí e também na área norte de Minas Gerais. Ao todo cerca de 40 mil Km2 da Caatinga já foram desertificada por causa de diversos fatores dentre eles a baixíssima incidência de…

View original post mais 330 palavras

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

TRAPOERABA OU MARIANAS

TRAPOERABA OU MARIANAS

Vistas misturada em pastos ou locais de umidade como beira de rios, plantações principalmente de bananeiras, goiabeiras e uvas onde se desenvolve nas sombras e se espalham como gramas ao chão. No entanto isso não é uma definição absoluta, há entre as marianas espécies que adoram solo arenoso e quente, quase sem água como no caso das commelina africanas sp; ou como definida em seu ambiente natural, Oruka eti ti Osun – brinco de Oxum ou ainda Lukaia Lumbisu – Folha de verdura, ou ainda King’eleng’ele  ua Luvuma – Brinco de flor e uma diversidade enorme de nomes locais.

Lá são usadas não somente como refogado mas principalmente como medicinal, para problemas renais, reumatismo, herpes, hemorroidas, ascite, hidropisia  e etc…

São de diversas variedades, mas a mais conhecida é a de cor azul, (Commelina erecta L.).

Recebe pelo continente e pelo mundo uma diversidade de nomes como todas as plantas e ervas o que causa uma confusão para os que estudam ou querem obter informação sobre as mesmas.

Alguns deles são: Andaca, capim-gomoso, grama-da-terra, grama-do-maranhão, maria-mole, marianinha, tracoeraba, capoeraba, trapoeraba, trapoerabana, Didi-da-Porteira; Erva-de-Santa-Lúcia; Erva-Menina; Erva-Mijona; Flor-das-Lavadeiras; Olhos de Santa Luzia)

Vamos tentando separar então as “Marianinhas” por imagens para ficar mais fácil de identifica-las, já que todas são chamadas de Trapoeraba e tem uma família vasta com variedades imensas ao ponto de algumas nem darem flores, outras mesmo bem parecidas tem diferenças em tamanho e posicionamento da flor e outras ainda dão apenas botões que não se abrem nunca. Se isso é variedade ou problema com o meio ambiente não sei, apenas vi e algumas tive eu a oportunidade de registrar em fotos.

Embora não tenha me aprofundado nos estudos das mesmas, são ervas ditas daninhas¹, como se elas danificassem algo quando a bem da verdade quem danifica a natureza é outra espécie que não é vegetal e sim animal conhecida como Homo sapiens, que onde pisa destrói, consome e modifica, inclusive causando desequilíbrio entre animais e vegetais para depois nomeá-los como daninho, pragas e coisas do gênero.

Concepções de visões a parte várias marianinhas servem de alimento para animais como forragem e também para nós humanos como alimento e como remédio.

A Tripogandra diurética, é utilizada aqui no Brasil como alimento refogada como espinafre e servida, usa-se toda sua parte aérea com talos folhas e flores. E como remédio catam-se as flores para um preparo de chá usado como diurético e para perda de peso além também de ser utilizado para outras enfermidades relacionadas ao sistema diurético, tais como blenorragias, cistites, uretrite e etc…

Seu chá medicinal, no entanto segundo dizem faz muito mais efeito quando suas folhas, flores e hastes são primeiro ressecados para depois serem usados na infusão do chá.

A variedade africana dessa família que tem como diferencial a cor e local preferido de se instalar com sua flor amarela e assim como comestíveis fazem partes de rituais dos cultos africanos como remédios elaborados também a base de chás e de misturas com outras ervas.

O mais importante é saber identificar cada uma delas com perfeição pois somente da variedade que tem a flor azul aqui no brasil existem várias, umas maiores, outras menores, outras ainda bem recolhidas ao ponto de nem abrirem.

Deixarei aqui imagens sendo algumas minhas de meu jardim e outras de sites da rede.

Esse material como todos os outros aqui presentes não tem nenhum fim lucrativo e apenas de informação, caso sinta-se ofendido por seus direitos peça em particular pelo email ( Kambami@gmail.com) que retirarei sua imagem e o link de seu espaço o mais breve possível..

 

Commelina erecta L.

Trapoeraba azulTrapoeraba azul1 trapoeraba azul2

 

Commelina diffusa Burm. f.

Commelina diffusa Burm. f.

 

Tradescantia zebrina

Trapoeraba zebrinha

Tripogandra diurética

Tripogandra diurética - Trapoeraba lilás Tripogandra diuretica (Mart.) Handlos1

 

Tradescantia palida purpúrea

???????????????????????????????

Tradescantia fluminensis / umbraculifera

Tradescantia umbraculifera (Trapoeraba-branca)

Commelina africana sp.

Commelina_africana1 - commelina amarelo; (Port.) geeleendagsblom (Afr). Commelina_africana2 - commelina amarelo; (Port.) geeleendagsblom (Afr).

 

Commelina benghalensis L.

Commelina_benghalensis_L._(9076580538)

 

Commelina difusa

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

Algumas variedades não identificadas

Commelina1 IMG_20150105_075724938 Trapoeraba roxa

Remédios e comidas

180_1342_1 P9200415 trapoeraba -salada

 

Mapa da Distribuição

map_of_Commelina_diffusa

 

Fontes de imagens:

http://panelasdecapim.blogspot.com.br/2013/09/bobo-de-abobora-com-banana-da-terra-e.html#.VMfuvtLF9y5

http://fernkloof.com/species.mv?394

 

Pesquisa realizada por Kambami

Publicado em ALIMENTO, COSMÉTICO, Ervas Medicinais | Etiquetas , | 18 Comentários